Piteco
Em Ingá, o povo de Lem precisa migrar porque o rio mais próximo à aldeia secou. Mas o caçador Piteco não vai, pois decide resgatar Thuga, que foi raptada pelos homens-tigre. Nesta releitura inusitada e repleta de ação, o paraibano Shiko acerta em cheio ao misturar sua origem nordestina à essência do homem das cavernas de Maurício de Sousa.

Piteco Details

TitlePiteco
Author
LanguagePortuguese
ReleaseNov 22nd, 2013
PublisherPanini Comics
ISBN-139788565484954
Rating
GenreSequential Art, Comics, Graphic Novels

Piteco Review

  • Eric Novello
    January 1, 1970
    Os primeiros volumes que li foram Bidu e Mônica Laços, o que gera uma comparação cruel de se fazer. Ingá tem vários méritos, a opção do artista pela aquarela é uma delas. A versão dele para os dinos e para os mitos é de babar. Que curupira incrível! Outro ponto bacana é ser uma história mais adulta, coisa que Bidu e Laços nem chegam a tentar. A abordagem do Piteco em Ingá é a de um personagem adulto, temos violência (muito discreta), tem o sexo (idem). E criar esse distanciamento da obra origina Os primeiros volumes que li foram Bidu e Mônica Laços, o que gera uma comparação cruel de se fazer. Ingá tem vários méritos, a opção do artista pela aquarela é uma delas. A versão dele para os dinos e para os mitos é de babar. Que curupira incrível! Outro ponto bacana é ser uma história mais adulta, coisa que Bidu e Laços nem chegam a tentar. A abordagem do Piteco em Ingá é a de um personagem adulto, temos violência (muito discreta), tem o sexo (idem). E criar esse distanciamento da obra original contaria por si só muitas estrelas na avaliação. Mas faltou algo no roteiro que gerasse um encanto, uma torcida pelo que estamos acompanhando.
    more
  • Mauricio Simões
    January 1, 1970
    Não fosse a “lacração” das cavernas, seria melhor.O ilustrador Shiko é paraibano e sua proposta de homenagem aos personagens clássicos de Mauricio de Sousa levou Piteco e sua turma para o nordeste. Em “Piteco - Ingá”, a inusitada mescla de elementos pré-históricos com a mitologia nordestina chama a atenção desde o início. O interesse cresce à medida que o belíssimo traço se ajusta com perfeição à técnica de aquarela utilizada como finalização. E os fãs de graphic novels não ficarão decepcionados Não fosse a “lacração” das cavernas, seria melhor.O ilustrador Shiko é paraibano e sua proposta de homenagem aos personagens clássicos de Mauricio de Sousa levou Piteco e sua turma para o nordeste. Em “Piteco - Ingá”, a inusitada mescla de elementos pré-históricos com a mitologia nordestina chama a atenção desde o início. O interesse cresce à medida que o belíssimo traço se ajusta com perfeição à técnica de aquarela utilizada como finalização. E os fãs de graphic novels não ficarão decepcionados com a excelente diagramação, recheada com desenhos dotados de notáveis expressões em angulações nada convencionais. O título “Ingá” deriva da Pedra do Ingá, monumento pré-histórico do agreste brasileiro, uma pedra entalhada com inscrições rupestres. Shiko ainda traz alguns elementos mitológicos tupiniquins como o Boitatá e o Curupira (que também aparecem em “Chico Bento - Arvorada”), mas a associação descaracterizada de seus nomes e formas enfraquece os personagens.O roteiro, que costuma ser o ponto fraco da coleção Graphic MSP, mais uma vez não empolga. Resta-lhe tentar ser apelativo, justamente onde fracassa de forma retumbante. O Piteco original é um homem das cavernas, macho-alfa, líder e personagem principal de sua tribo, forte e caçador. Nessa história, tornaram-no um Pithecanthropus nutellis. Coadjuvante em todas as ações, é colocado de lado para (argh!!) “empoderar” as mulheres. Thuga é o centro da história. Ela é a xamã, ela é sexy, ela lidera toda a tribo em busca de um lugar com água, ela se oferece em sacrifício para a tribo inimiga. Depois que todos os homens se acovardam, Piteco e Beleléu tentam resgatá-la. Mas só conseguem com a ajuda das forças místicas da natureza, invocadas espiritualmente por Thuga e Ogra. E quando chega o momento de salvar a Thuga, quem assume o papel principal? Piteco? Beleléu? Não, a Ogra. Celebra-se a “paz mundial” e, por fim, a Thuga - nas entrelinhas - é quem “arrasta” Piteco para a caverna. Bem, menos pior, pois neste ponto já fiquei surpreso por ela não preferir a Ogra...Nota do livro: 7,06 (4 estrelas).
    more
  • Marcos Kopschitz
    January 1, 1970
    Outra excelente graphic novel da série "Graphic MSP", que explora muito bem o personagem Piteco e toda a sua turma (Thuga, Ogra, etc.), com excelente arte de Shiko. É um dos autores que fez uma completa revisão gráfica dos personagens. Alguns estudos para sua criação são mostrados em ótimo apêndice ao final do livro.O roteiro é muito criativo ao situar o povo pré-histórico de Lem no sertão da Paraíba, terra de Shiko, usando referências de inscrições na pedra realmente existentes em uma localidad Outra excelente graphic novel da série "Graphic MSP", que explora muito bem o personagem Piteco e toda a sua turma (Thuga, Ogra, etc.), com excelente arte de Shiko. É um dos autores que fez uma completa revisão gráfica dos personagens. Alguns estudos para sua criação são mostrados em ótimo apêndice ao final do livro.O roteiro é muito criativo ao situar o povo pré-histórico de Lem no sertão da Paraíba, terra de Shiko, usando referências de inscrições na pedra realmente existentes em uma localidade justamente de nome Ingá. E ainda inclui personagens lendários do folclore brasileiro como o Caipora.E o álbum tem apresentação na quarta capa de ninguém menos que Mike Deodato Jr., desenhista brasileiro da Marvel Comics. Ao final, ótimas referências históricas sobre a criação do personagem por Maurício de Sousa.As publicações da série Graphic MSP (Volumes 1 a 10)1. Astronauta - Magnetar, de Danilo Beyruth (outubro / 2012) *** R 2. Turma da Mônica - Laços, de Vitor Cafaggi e Lu Cafaggi (maio / 2013) *** R 3. Chico Bento - Pavor Espaciar, de Gustavo Duarte (agosto / 2013) *** R 4. Piteco - Ingá, de Shiko (novembro / 2013) *** R 5. Bidu - Caminhos, de Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho (agosto / 2014) *** R 6. Astronauta - Singularidade, de Danilo Beyruth (dezembro / 2014) *** R 7. Penadinho - Vida, de Paulo Crumbim e Cristina Eiko (maio / 2015) *** R 8. Turma da Mônica - Lições, de Vitor Cafaggi e Lu Cafaggi (agosto / 2015) *** R 9. Turma da Mata - Muralha, de Artur Fujita, Roger Cruz e Davi Calil (setembro / 2015) *** R 10. Louco - Fuga, de Rogério Coelho (novembro / 2015) *** R Veja os volumes de 11 em diante aqui:11. Papa-capim - Noite Branca, de Marcela Godoy e Renato Guedes (abril/2016) *** R*** R - Álbuns já resenhados por mim
    more
  • Marcus Vinicius
    January 1, 1970
    Do mesmo modo que nas MSP do Astronauta, o autor me perdeu por utilizar um enredo muito adulto e longe demais das minhas memórias de infância do personagem.Apesar de ser um conto interessante e ter uma arte muito bonita, não era isso que eu esperava do Piteco.
    more
  • Cristine
    January 1, 1970
    Adorei o traço e as cores, mas a história não me conquistou.
  • Diandra Fernandes
    January 1, 1970
    Meu contato com Piteco foi bem pequeno, então não fui com sede ao pote lendo esta hq.A repaginada deu uma cara muito diferente aos personagens, há até um toque mais apelativo nas caracterizações femininas, uma leve "erotizada".Os traços são bem diferentes, mas são bem feitos.Em relação a história, não foi nada nova. Uma dama é sequestrada e o herói entra em uma jornada com seus amigos para salva-la. Apesar de bem feita, não me cativou.
    more
  • Marcelo Ottoni
    January 1, 1970
    Belíssimo trabalho do artista Shiko, que soube fazer a releitura dos personagens do Maurício de Sousa, com muitas referências dos povos ancestrais nordestinos e ainda deixar clara a influência de quadrinhos europeus da década de 70 e 80, principalmente com Moebius.Trabalho maduro, tanto na narrativa gráfica, quanto na arte, finalizada em aquarela. Mais um grande projeto da maravilhosa série Graphic Novels MSP.
    more
  • Luiz Santiago
    January 1, 1970
    SENSACIONAL!!! Nunca imaginei que veria o Piteco numa história assim. Minha classificação real seria 4,5 mas como não é possível dar meia estrela aqui, fica 5, que é a nota mais aproximada do que essa GN merece. Shiko realmente assusta e encanta com essa história. Devia virar material didático!!!
    more
  • Lucas Besen
    January 1, 1970
    Ingá é uma excelente adição à coleção MSP.Além de Shiko fazer ótimas releituras dos personagen - o que é a Ogra, minha Deusa! que releitura incrível! -, ele traz uma história fluída, mas por isso desinteressante. Pelo contrário, Ingá é uma das melhores narrativas da coleção até agora. Shiko traz todo o contexto brasileiro ao adicionar a pedra de Ingá (verdadeira relíquia do tempo das cavernas) para a história de Piteco. Não só isso, como transforma Thuga em uma xamã fodástica e Ogra em uma lutad Ingá é uma excelente adição à coleção MSP.Além de Shiko fazer ótimas releituras dos personagen - o que é a Ogra, minha Deusa! que releitura incrível! -, ele traz uma história fluída, mas por isso desinteressante. Pelo contrário, Ingá é uma das melhores narrativas da coleção até agora. Shiko traz todo o contexto brasileiro ao adicionar a pedra de Ingá (verdadeira relíquia do tempo das cavernas) para a história de Piteco. Não só isso, como transforma Thuga em uma xamã fodástica e Ogra em uma lutadora amazona maravilhosa! Tudo isso narrado dentro de uma perspectiva onde a ancestralidade feminina é que dá o tom para a história.Faltou um pouco de interação entre as mulheres? Faltou. Mas o fato de que nenhuma delas é motivada exclusivamente pelo amor a alguém faz com que a história ganhe muitos pontos.Gostaria de ver uma continuação para essa graphic novel, principalmente porque amei a releitura da mitologia indígena e brasileira.Recomendadíssimo!
    more
  • Ízis Miranda
    January 1, 1970
    POST NO BLOG > em breve....- sinopse: Os habitantes da aldeia de Lem estão sendo obrigados a se mudar pois, o rio que passa perto do local onde moram secou. Porém, uma mulher da aldeia, Thuga, foi raptada pelos homens-tigre. Como bom caçador que é claro, apaixonado pela Thuga, Piteco resolve ficar para resgatar sua amada das garras de seus raptores. Será que Piteco vai conseguir trazer Thuga de volta?- Minha opinião: Piteco - Ingá é uma obra cheia de aventura, imersa no folclore nordestino e POST NO BLOG > em breve....- sinopse: Os habitantes da aldeia de Lem estão sendo obrigados a se mudar pois, o rio que passa perto do local onde moram secou. Porém, uma mulher da aldeia, Thuga, foi raptada pelos homens-tigre. Como bom caçador que é claro, apaixonado pela Thuga, Piteco resolve ficar para resgatar sua amada das garras de seus raptores. Será que Piteco vai conseguir trazer Thuga de volta?- Minha opinião: Piteco - Ingá é uma obra cheia de aventura, imersa no folclore nordestino e repleta de referências históricas da região, como a pedra do Ingá. Shiko foi muito feliz nas expressões e traços dos personagens pré-históricos, bem como na escolha da cartela de cores que foi totalmente trabalhada em aquarela. Dei 4 estrelas porque de todas as graphics MSP que li essa foi a que menos me prendeu.
    more
  • Flavio
    January 1, 1970
    A “grande jóia da coroa” das Graphic MSP são as séries “Astronauta”, de Danilo Beyruth, e “Turma da Mônica”, pelos irmãos Lu e Vítor Cafaggi.“Piteco: Ingá” é uma história contida, sem margem para continuação - que não teve até 2019, e nem precisa ter - e uma pérola cujo brilho talvez tenha sido ofuscado pelas outras grandes obras que lhe acompanharam em 2013, no início da linha.É uma obra que merece ser descoberta. Roteiro simples e direto, muito bem pesquisado e brilhantemente ilustrado por Shi A “grande jóia da coroa” das Graphic MSP são as séries “Astronauta”, de Danilo Beyruth, e “Turma da Mônica”, pelos irmãos Lu e Vítor Cafaggi.“Piteco: Ingá” é uma história contida, sem margem para continuação - que não teve até 2019, e nem precisa ter - e uma pérola cujo brilho talvez tenha sido ofuscado pelas outras grandes obras que lhe acompanharam em 2013, no início da linha.É uma obra que merece ser descoberta. Roteiro simples e direto, muito bem pesquisado e brilhantemente ilustrado por Shiko, um talento brasileiro que eu até então desconhecia, mas que agora, impressionado, não posso esquecer.
    more
  • Ricardo Santos
    January 1, 1970
    Shiko é um artista paraibano de reconhecimento internacional. Nessa graphic novel, ele reinventa o universo de Piteco, um dos personagens mais conhecidos de Maurício de Sousa. Shiko assina roteiro, ilustrações e cores. Mesmo com as limitações editoriais por trabalhar com personagens da Turma da Mônica, ele teve sua dose de ousadia ao misturar referências pré-históricas da Paraíba com seres do nosso folclore e criaturas fantásticas. Uma aventura dinâmica, cheia de belas imagens.
    more
  • Felipe Assis
    January 1, 1970
    O unico problema dessa série da msc é o fato de ser tão curtas,mas calma aê! puta que pariu que coisa linda que é esse do piteco...e o curupira? e o boitata? sem palavras...
  • New Frontiersnerd
    January 1, 1970
    Piteco: Ingá, de Shiko: Hollywood paraibana de vibe européiaO projeto Graphic MSP é uma feliz conseqüência de MSP50: a ideia é colocar quadrinistas brasileiros para escrever e desenhar histórias dos personagens da Turma da Mônica com um jeitão autoral – agora, na velocidade de um álbum de cada vez.A primeira rodada teve por ponto de partida Astronauta: Magnetar, de Danilo Beyruth, que foi seguido de Turma da Mônica: Laços, de Vitor e Lu Cafaggi, Chico Bento: Pavor Espaciar, de Gustavo Duarte [es Piteco: Ingá, de Shiko: Hollywood paraibana de vibe européiaO projeto Graphic MSP é uma feliz conseqüência de MSP50: a ideia é colocar quadrinistas brasileiros para escrever e desenhar histórias dos personagens da Turma da Mônica com um jeitão autoral – agora, na velocidade de um álbum de cada vez.A primeira rodada teve por ponto de partida Astronauta: Magnetar, de Danilo Beyruth, que foi seguido de Turma da Mônica: Laços, de Vitor e Lu Cafaggi, Chico Bento: Pavor Espaciar, de Gustavo Duarte [esses dois de vibe mais CUTI CUTI]. O gibi final é precisamente Piteco: Ingá, de Shiko.[+] http://www.newfrontiersnerd.com.br/20...
    more
  • Leticia
    January 1, 1970
    Piteco através de Conan. A abordagem dos personagens e do cenário, tanto na arte quanto no roteiro, funcionam maravilhosamente. A arte é de cair o queixo e a narrativa é dinâmica, como a história pedia. Ainda assim, não é nada que eu nunca tenha visto.
    more
  • Helena Eher
    January 1, 1970
    Vídeo sobre o livro: https://youtu.be/0oL7m3DLTS4Post no blog: http://leitoranaholanda.com.br/2015/1...
  • Clara
    January 1, 1970
    Se tornou meu Graphic MSP favorito! Que história! Que traçado, que cores incríveis! E usar lendas brasileiras? Sim, obrigada! <3
  • Paula Savioli
    January 1, 1970
    Nunca gostei do Piteco no gibi. Acho que pulava as histórias dele. Mas gostei dessa HQ. Achei até curtinha demais. O final é lindo.
  • Mariana Brito
    January 1, 1970
    Narrativa e arte perfeitas! Brincou muito bem com o folclore local!Indico!
  • Raquel Melo
    January 1, 1970
    Traços, cores e mesmo a história, tudo perfeito!Ver aquele gibi que você adorava tanto na infância, redesenhado, com realismo, é algo que nunca imaginei, mas me emocionou!
Write a review